Home Geral Em tempos de crise, o exemplo de gestão pública vem de Solonópole

Em tempos de crise, o exemplo de gestão pública vem de Solonópole

4 Primeira leitura
0
0
48

Pensando em se adequar a queda dos repasses do Estado e da União e entendendo a atual conjuntura econômica e política do país, o município de Solonópole, localizado no Sertão Central do Estado, tem tomado medidas para otimizar os serviços da máquina pública a fim de evitar prejuízos e manter a qualidade de serviços básicos, especialmente na educação.

Só em 2017, o município teve uma queda de, aproximadamente, R$ 606 mil no complemento do FUNDEB se comparado ao ano de 2016. Além dessa queda, também houve reduções de recursos registradas no caixa geral do município, como o FPM, que chegou a uma redução de 3,36%, resultando R$ 410 mil a menos no orçamento.

Para trabalhar diante desse cenário, a gestão do prefeito Webston Pinheiro fez uma série de adequações que têm, surpreendentemente, resultado na melhoria dos índices educacionais. Desde 2015, por exemplo, o remanejamento de turmas da zona rural para a sede do município é uma alternativa para garantir a qualidade de ensino e diminuir salas de aula ociosas nessas comunidades.

A transferência é realizada seguindo orientações do Conselho Nacional de Educação e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação que orientam, ambos, uma média de 25 alunos por professor no Ensino Fundamental. Nas primeiras três unidades que passaram pela mudança, o cálculo não ultrapassava a marca de 10 alunos por profissional.

Neste ano, a Secretaria Municipal de Educação optou pelo remanejamento do Ensino Fundamental de mais uma unidade, no distrito de Cangati, onde a média é de 8 alunos.
De acordo com o prefeito Webston Pinheiro, apesar de ser uma mudança significativa na rotina dos estudantes, a medida tem um grande impacto no aspecto pedagógico, uma vez que os alunos e profissionais ganham melhor estrutura em salas de aula, laboratórios, bibliotecas, quadras poliesportivas e salas de Atendimento a Educação Especial (AEE). “Eles [os alunos] saem de unidades muito pequenas para outras que oportunizam melhores condições de aprendizagem, com variedade de espaços educacionais e de lazer. Sabemos que há um período de adequação, porque eles saem de salas com 8 alunos e ganham novos colegas. A sociabilidade também é uma importante ferramenta no aprendizado”.

As turmas de ensino fundamental que passam por adequação são alocadas em duas unidades na sede do município. O percurso dos estudantes é acompanhado por cuidadores e realizados em ônibus e microônibus escolares, como toda a rede de transporte educacional do município.

 

Fonte: Blog do Roberto Moreira

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Geral

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Com redução de 23%, o segundo FPM de junho entra nas contas na quarta-feira

O segundo repasse do Fundo de Participação Municípios (FPM) de junho deste ano será 23,01%…