Home Ceará SAÚDE PÚBLICA:Ceará tem risco “muito pequeno” de surto de febre amarela

SAÚDE PÚBLICA:Ceará tem risco “muito pequeno” de surto de febre amarela

4 Primeira leitura
0
0
82

Ceará, Paraíba, Pernambuco e Sergipe são os únicos estados do Nordeste que não apresentam casos de febre amarela. Para especialistas, o Ceará tem risco pequeno de ter surto da doença, pois não há vírus circulando no Estado, sequer na forma silvestre, ao contrário de em outros lugares.

A febre amarela possui dois ciclos, o urbano e o silvestre, explica a coordenadora de Imunização da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Ana Vilma Braga Leite. Os casos mais recentes no Brasil decorrem do ciclo silvestre — em locais com matas rios —, causado por mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes.

De acordo com a representante da Sesa, o primeiro sinal de alerta seria encontrar macacos morrendo de febre amarela no Estado. Contudo, ela afirma que o risco de surto é “muito pequeno”, porque, diferente do que acontece com arboviroses, existe vacina para a doença desde 1937 e já há muitas pessoas imunizadas.

Nas cidades, o vetor da doença é o mosquito Aedes aegypti. Porém, o último caso de ciclo urbano registrado no Brasil foi em 1942, de acordo com a Sesa.Conforme o infectologista e professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) Guilherme Henn, para que ocorresse surto de febre amarela alguém que tenha contraído o vírus em área de risco teria que ser picado pelo Aedes aegypti ao voltar para o Estado e ainda no período em que o vírus fica circulando no sangue, que é menor que cinco dias. O mosquito teria então que picar outra pessoa suscetível e isso acontecer várias vezes num curto intervalo de tempo. Guilherme Henn explica que a escalada de casos de febre amarela em outras regiões do País é “multifatorial”. Envolve possibilidades elencadas por pesquisadores da área, como mudanças climáticas que favorecem proliferação de mosquitos, catástrofes naturais, crescimento desordenado de cidades sobre áreas de matas e até mesmo redução de recursos repassados pelo Governo. (Lívia Priscilla)

 

SINTOMAS

INÍCIO DA DOENÇA: febre, calafrios, dores de cabeça e no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Cerca de 15% dos infectados, após período de horas a um dia sem sintomas, desenvolvem uma forma mais grave da doença. Deve ser procurada uma unidade de saúde. CASOS GRAVES: febre alta, icterícia (pele e branco dos olhos amarelados), hemorragia (principalmente gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.

Com informações do O Povo Online

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Ceará

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Jovem desaparecido é encontrado morto depois de ritual de magia negra em Iguatu/CE

Na última sexta-feira (18/05/2018), a pessoa de JHEYENDERSON DE OLIVEIRA XAVIER (JHEY OLIV…